O que é o Amor?

 

amor na chuva
Como você define Amor? Como vai o Amor em sua Vida?

Afinal de contas, o que é o Amor? Esse post é uma resposta a um amigo que comentou um recado que deixei na fanpage PVM esta semana. O post teve uma repercussão muito forte, provavelmente porque o Dia dos Namorados está chegando. Se ainda não viu, veja lá antes de seguir lendo esse post aqui – é um vídeo curtinho que você vai gostar – e é muito pertinente (aproveite e curta a fanpage PORQUE VOCÊ MERECE – Creusa Brigatti, e compartilhe com aqueles que você quer bem):

NO ÉS AMOR!

O vídeo, a princípio, é para adolescentes, no entanto,  os comentários que recebi (inbox principalmente) são de pessoas mais experientes, que já viveram vários relacionamentos e que ainda têm dificuldades em atrair um companheiro/a que as valorize, têm dificuldades em manter um relacionamento em que exista um crescimento mútuo e não apenas estresse.

Acredito que a maioria de nós já passou por alguma situação de relacionamento que a gente queria muito que desse certo, mas todo mundo em volta já tinha sacado que era um caminho errado, uma barca furada.

Comigo foi assim. Quando finalmente tomei coragem para sair de um relacionamento que já não era mais certo, nem pra mim nem pra ele, os amigos festejaram: “Até que enfim!!! Como aguentou tanta grosseria!” Pois é, parece que eu era a única que não tinha entendido que aquilo podia ser um monte de coisa, mas não era, nem de longe, Amor!

E aí fica a pergunta: O que, afinal de contas, é o Amor? Como defini-lo? Será possível? Fui pesquisar e entre tantas definições, para mim, a que mais se encaixou é a do mestre Deepak Chopra:

“Na cultura oriental, Amor é um estado de consciência, de presença. É quando estamos em comunhão com o outro.”

E ele explica que estar em comunhão com alguém é estar confortável com o silêncio:

“Quando estamos com raiva, gritamos. Quando estamos apaixonados, sussurramos. Quando amamos, o silêncio tornar-se confortável.”

Mestre Deepak afirma que não é possível vivenciar o Amor se não nos conhecermos a nós mesmos, não termos coragem de olhar para quem somos, realmente! É por isso que logo que conhecemos alguém, vemos somente suas qualidades – ficamos ‘encantados’. Depois que o encantamento passa, aí vemos somente o que nos incomoda.

O que fazer então?

Fique de olho no próximo post porque continuaremos explorando esse tema tão discutido e dando dicas de como atrair, manter e descomplicar o Amor em sua vida! Fica só uma dica: tem tudo a ver com o seu Amor Próprio!

Se ainda não o fez, faça o download GRATUITO do meu e-book: Assertividade – Aprendendo a Dizer Não. Cuide de seu Amor Próprio e prepare o terreno para um Amor com A maiúsculo em sua vida!

Fiquem com um clip do Jota Quest. “Se isso não é Amor, o que mais pode ser? Tô aprendendo também.”

Deixe seu comentário! Como VOCÊ define Amor? Qual a sua dica para descomplicar o Amor? Comente, compartilhe! VAMOS ESPALHAR O AMOR! O mundo precisa de mais COR+AÇÃO!

Viva Intensamente, ame sem reservas e faça a diferença AGORA!

Forte ARTEabraço, com carinho <3

Creusa Brigatti, Coach & Arteterapeuta

2 Comentários


  1. Sou um perseguido do amor, ele, o amor me perseguiu sempre, e continua me perseguindo, quando sobre ele eu sabia pouco, me bateu na porta significativas vezes, confesso ter demorado para abrir. Quando a vida com suas lições sempre diretas e contundentes passou a me enviar sinais de que minha infelicidade tinha uma causa, tive minimamente o bom senso de perceber. Comecei então a prestar a atenção, percebi situações recorrentes, se cenários e circunstâncias eram diversas, a causa não. E algumas sirenes tocaram, busquei a direção para ver de onde vinha aquele som, e para minha surpresa vinha lá de dentro, isso, de dentro de meu mundo. Ao começar a olhar mais detidamente para esse mundo meu, vi que as coisas estavam desarrumadas. A ajuda veio quando me vendo em um clima bom comecei a falar a respeito, e ao me esforçar para ser entendido, as arrumações começaram como em uma mágica. Para dizer isso usei de figuras, mas usei cada uma delas retirada do arquivo que guardo comigo desta caminhada boa que é a vida.

    Responder

    1. E que bela a sua jornada, querido amigo Maia, de tanto tempo, quiça de outras vidas. Gratidão imensa por compartilhar imagens/figuras tão preciosas e fortes conosco e por reforçar isso que é um entendimento e também aprendizado meu: Na dúvida, comece pelo Amor Próprio. Aprender a olhar-se com curiosidade, com delicadeza e desejo de entender os chamados que a vida nos faz, com certeza, faz toda a diferença e vale cada segundo que investimos nesse caminhar, vale cada lágrima que por ventura caia nesse processo de autoconhecer-se. Seja bem vindo ao nosso blog! Volte sempre! Forte ARTEabraço!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *